domingo, 20 de setembro de 2015

Polêmicas Apostólicas


Os indivíduos, seguidores principais de Jesus, em número de doze são contados assim certamente por causa do simbolismo contido por exemplo nas doze tribos israelitas. Entretanto discordo das pesquisas modernistas que questionam existir, e garantem algumas até que de fato não existem, as doze pessoas elencadas nos evangelhos. Também!... É do feitio de tais pesquisas questionar existências por vezes incômodas...

Não são doze na verdade: são catorze. Por além da dúzia conhecida Paulo temos, apóstolo de gente pagã, mais Maria Madalena.

Maria Madalena?

Vamos justificar. As igrejas católicas orientais igualam aos indivíduos apóstolos de Jesus, que já contamos em treze, Maria Madalena. Tal consideração por ela vem dos primeiros séculos cristãos. Então é nada de gnosticismo! Tampouco maluquices contemporâneas nossas sobre Madalena que coitada vê dos Céus tantas besteiras ditas em seu nome.

Comprovamos tal Maria sendo não igual só mas até por excelência também apóstola pois qualquer apostolado nada mais é que propagar a boa nova da ressurreição do Cristo. Quem foi de prima bater os olhos em Jesus vencedor da morte? Quem foi de prima com plenos pulmões anunciar tal boa nova? Sim: as mirifóras que nem ela tiveram igual atitude. Contudo com quem Jesus conversa de primeira vez após o momento de sua glória?

Portanto sim: apóstola Maria Madalena.

Quando for eu pintar na santa ceia Jesus transubstanciando pão em seu corpo lh’O ladearei com doze. Na consagração Judas já tinha dado no pé fugido. Maria Madalena lá por certo ficou fiel até no derradeiro momento juntamente com João. Inclusive por cá vem um bom argumento para defender o sacerdócio feminino... Mas ainda defendo minha religião pois sobre tal assunto só com intervenção direta dos Céus para mudar.

Rezai, portanto, mulheres defensoras de sacerdotisas católicas rosários a Nossa Senhora para que por qualquer aparição d’Ela próxima diga claramente que mulheres podem e devem, ou não, ter as mãos ungidas para celebrar também que nem os machos o sacrifício por excelência!

Duas excelências então: apostolado de Maria Madalena mais sacrifício da santa missa. Com as devidas proporções, esta maior, aquela menor, evidentemente.

Mas... O simbolismo do número doze se perderá?

Não. As portas da Jerusalém celeste no livro da revelação final joanino sempre serão as pessoas apóstolas do Cristo. Na porta de João vem gravado também o nome de Maria Madalena. Que nem na de Pedro vem o de Paulo. Quem é do Catolicismo Romano concordará que são duas colunas de mesmo templo Paulo mais Pedro. Só restará raciocinar bem para concordar com a relação entre João e Madalena.

Meu raciocínio registrarei por textos futuros. Então deixarei por enquanto quebrar a cabeça quem me lê.

Lembremo-nos por fim do tenebrário. São quantas as velas? Quinze. São apagadas quantas? Catorze. Quem as velas representam?

Repito minha pergunta: quem encontrou de primeira vez aleluia?