sábado, 7 de dezembro de 2013

Suposição Maldita

Quem puxava quase toda vez a prosa. Também cuidando que nada dito nos apartasse de vez. Bem... Eu fiz assim por ser gentil. Demais até! Dificilmente me dirigiu palavra. Quem iniciava normalmente qualquer comunicação? Eu. Tinha Fulana de Tal que comigo se relacionava. Também Beltrana de Qual. Não mais agora! Quis entender o nosso relacionamento mas... Era cobrança minha! Qualquer amizade não pode ser entendida segundo tal criatura. Que fazer?

Um suposto grupo do qual nós éramos membros se desfez. Desfez para todo sempre. No seu desenlace, sem nem me dar conta, também exclusão sofri. Por qual razão? Na verdade não sei. Talvez meus questionamentos acerca das relações, na verdade superficiais entre nós, azedou quem desejava só diversão sem quaisquer explicações do gênero. Discutir relação é só para mulheres que de fato não discutem seriamente mas dão a larga, quando por suposição discutem, suas histerias.

Enfim: indesejável no grupelho sofri sacanagem pois era considerada dentro dele possível qualquer amizade. Sim! Entre nós. Entretanto meus enganos coitados se garantiam nos silêncios que dissimulavam companhia. Nenhuma discussão acerca dos verdadeiros sentimentos de cada pessoa se fazia seriamente. Minhas conversas sobre nossa relação não eram levadas em conta. Suposição maldita! Feriram-me profundamente deixando bem aberto meu coração. Ah!

Besteira! Quem há de dar importância? Cada pessoa tem lá suas preocupações... Ainda vão dar trela para mais outras? Sem chance!

Sacanearam comigo. Mas sinto saudade. Gosto realmente de Fulana de Tal. Também de Beltrana de Qual. Contudo também desisti de discutir sobre ter um bom relacionamento com elas. Que nem diversos assuntos adultos: não podem ser discutidos com crianças. E de crianças só quero contato com as que não são infantis artificialmente.

Sim. É mimimi.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Briga de Foice

Que fazer? Mais uma vez acirrou nossa violência: combater é difícil. Por qual motivo? Nossas instituições mal geridas.

E quaisquer uma delas em todos os lugares. Ilegais e legais.

Elas acabam sustentando nossas mazelas. Nascem com ideais mas sobrevivem por caprichos.

Cremos que tudo pode ser inescrupulosamente conseguido... Nós e nós. O “vosso reino”? Sei lá! Como lidar?

Organizamo-nos socialmente sem ética? Não. Mas...

Quando poderemos ter a tranquilidade de viver bem?

Viver bem?

Sempre nos aproveitamos das situações.

Entretanto levar vantagem a qualquer custo custa muito caro.

Pois é: metáfora com valores monetários e não morais.

Quem é bandidagem afinal?

Raramente seres humanos vivem sem a sociedade. Quando não têm criam. Bem ou mal: sociais.

Portanto vamos destruir a nossa bandidagem. O cometer erros sem pensar em consequências. Egoísmo que nos enraba quase que nos empalando.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Intolerância Laica


Meu texto seguinte foi feito para contrapor algumas mentiras hoje ditas acerca da religião. Contrapus de maneira particular a quem com ignorância mal sabe daquilo que supostamente critica. Sem revelar seu nome publico tal contraposição: espero que sirva para qualquer pessoa que não pensa bem antes de dar com a língua nos dentes.



Fulana de Tal.

Culpar a religião de boa parte das mazelas humanas é mais uma vez escolher um bode para sofrer expiação. Digo mais uma vez pois vez por outra, talvez até sempre, vamos apaixonadamente sem escrúpulos caçar algumas bruxas... Coitadas! Não renego que muitas das mazelas humanas são fomentadas pelo modo religioso de lidar com a realidade. Todavia não condenamos as bruxas só nas fogueiras inquisitoriais.

A religião se tornou nova bruxa por hoje.

Como? Vejamos.

Eugenia: temos a ciência fazendo também uma lambança daquelas! Muitas das nossas instituições educacionais que se consideram racionais aval para deram: “Estudar as condições mais propícias à reprodução e melhora da raça dos seres humanos” (Aurélio). Sabemos atualmente quão ridículo vem a ser isso! Mas basta consultarmos historicamente tal proposta para conhecermos a sua validade tamanha tempos atrás.

Da mesma maneira que diversas pessoas estudiosas podem citar quinhentas mil cagadas religiosas outras tantas estudiosas igualmente poderão elencar quinhentas mil cagadas só que científicas. Então vamos ficar só nos exames de fezes “Il Milione”? Bem... A questão que devemos colocar é: quando vamos tentar ao menos curar a doença?

Quem está doente? Nós: os seres humanos. Ora!

Mas não! Em vez de civilizadamente discutirmos... Cada qual no seu canto dá seu berro sem querer ouvir réplica: pode? Quem é da religião diz de quem a contradiga ser cria de Judas. Quem é da ciência revida dizendo ser a religião obscura. Daí que malhamos o Judas Obscuro que fica no meio de nossa tão obstinada... Como posso chamar? Ignorância!

Quando digo nós eu não estou só sendo gentil. Quantas vezes em conversas que tivemos horrores falei das crenças institucionalizadas? Entretanto resolvi dar ouvidos às partes da disputa. Qual não foi minha surpresa quando descobri bons argumentos doutro lado! Concordo plenamente contigo por lembrar: “É sempre bom conhecer as coisas antes de criticar”.

Sugestões?

Para contrapor Marcelo Luz temos Karen Armstrong. Para Paulo Roberto Lopes? Maria Fernanda Vomero.

Melhor ainda, se for possível, consultar as fontes: as pessoas praticantes da religião. Nada digo das imbecis: elas existem nas universidades também por sinal. Mas temos colegas protestantes, por exemplo, que podem prestar auxílio para maior entendimento de sua doutrina. Não quero dizer que com isso vais acabar discordando de tudo que criticas por agora mas se forem acertadas tuas colocações elas serão fortalecidas com o diálogo: se não vais deixar de cair em erro.

Repito: diálogo. Nenhuma briga por favor. É difícil ter um mas não custa tentar.

Custa?

Custa menos do que qualquer intolerância. Vivemos hoje mais uma: laica.



16. 01. 2012

domingo, 6 de outubro de 2013


Enquanto pessoas que se diziam suas amigas se distanciando vão aos pouquinhos de você melhor é tomar uma resolução de respeito: desfazer de vez qualquer possibilidade de contato. Pena que nem sempre tenho colhões para reagir de tal maneira.


Tomo mais um gole de café. Leio mais um parágrafo do livro. Que dupla! Casada por quem costuma ler. Com mais outro bocado na boca termino minha leitura.

Mas... Escrever? Mil textos preciso dar ao largo das leituras alheias... Ei, café: dá para pular a cerca?


Os relacionamentos sexuais hoje são um lixo! Vamos apoiar o celibato portanto? Seja por motivos religiosos ou quaisquer outros. Melhor: o motivo da promiscuidade. De tanta percorrer a vida só talvez é caminho plano.


As palavras postas por escrito são fortes. Muito fortes! É por tal força que nós nos atestamos ao dispormos delas. Um instrumental que também nos conforma portanto. Sabemos do vigor de tal registro: mas inconscientemente quase sempre. Portanto cuidado na força!



17. 03. 2013

sábado, 21 de setembro de 2013

Antiga Descrição Minha

Sou feminista. Fã de Madona também gosto de música clássica. Com outra Madona, mais antiga, recebi minha formação cristã. Porém agnosticamente para mim "a dúvida vem a ser a mãe do conhecimento". Minha personalidade barroca portanto não nega meu caráter classicista. Pode? Que nem eu sim. Sem da pernambucanidade fugir admiro Portugal. De café, como também de maracujá, componho minha bebida sem faltar açúcar acompanhada por exemplo de cuscuz com charque. No Carnaval. No São João. Só não além de bem e mal. Por enquanto? Não sei. Que me resta fazer? Escrevo. Com as artes. Com as ciências. Com as filosofias. Com as religiões. Com os esportes? Ao ver as esportistas. Enfim as mulheres amo: parentes, egérias, amigas mais afins... De mim, oras!

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Ao se Defender

Os estragos, aqui supostos meus, não são estragos simplesmente
Mas um lado da vida que teimamos esquecer.
A vida só com acertos não a conheço.
Também sei que todos os estragos são conseqüência dos erros.
E tão-somente meus? Impossível!
Minha vida não faço só: convivo.
Quando vamos assumir então os nossos erros?

05. 03. 2013
Tarde

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Uma Religião sem Devoção?


Em vez de nós continuarmos com as adorações ao Santíssimo costumeiras de quarta-feira damos espaço na segunda semana deste mês para discussões com as famílias sobre... Família!

“Família. Família. Papai, mamãe, titia!”...

Sim: importantíssimo tema! Contudo quase nada resultará discutindo sobre no laicato. Por qual motivo? Tais encontros só servem para jogar conversa fora.

Nós, gente católica, deixamos de rezar para conversar hortaliças. Seguindo livrinhos da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil que deixam a desejar no quesito devoção religiosa.

Reino de Deus é justiça social... Jesus parece que só veio para gente pobre! Quando não descamba para pregar a Teologia da Libertação de forma mais ou menos velada temos algo piegas dito...

Mas... E rezar? Adorar a Divindade? Satisfazer o desejo de Nossa Senhora com a recitação do seu Rosário? Não! Precisamos discutir as injustiças mundanas.

Sinceridade? Já não tenho mais paciência! Desejo ser uma pessoa devota. Devoção a Jesus. A sua Santíssima Mãe também. E não só dentro do meu quarto mas igualmente com a minha comunidade.

No templo quero ficar perto de Deus e não ficar nas adjacências de Câmaras Municipais ou Prefeituras. E sobre família? Deixemos o sacerdócio tratar em suas homilias dominicais dela.

Volto com sede para minha religião. Ai de quem impedir minha vontade da Fonte de Vida tomar: “ainda que seja de noite”!


+


Na procissão em 2013 de Nossa Senhora do Carmo fui por exemplo presenciar:


  1. Testes de som em trios elétricos enquanto se celebrava missa;
  2. Trios elétricos (inclusive tendo por um deles grandes garrafas de Pitu como logotipo de propaganda);
  3. Gente “bicada”;
  4. Músicas para fazer a “galera vibrar”;
  5. Crucifixo não na frente do cortejo que nem o costume mas no “cu” do trio;
  6. Moças em danças para lá de recatadas a ponto de quase mostrarem a “flor do Carmelo”.


Mais? Andor de Nossa Senhora muito bonito, Bruno! Só não gostei das cabeças dos anjos na parte de cima da berlinda. Todavia meus parabéns! Uma coisa boa portanto no meio de tanta...

Melhor esquecer.


+


Faz alguns anos que meu pastor arcebispo proíbe de celebrar algumas missas dominicais após algum horário do domingo para que todas as suas ovelhas participem da grande missa celebrada por ele no Pátio do Carmo: lá no Recife.

Quais são as missas que com ordem tal sofrem? As de Pentecostes principalmente. Pode? Por conta disso lhe mandei recado na festa de Pentecostes derradeira. Vamos ler então a seguir.


“Inadmissível! No dia de Pentecostes as comunidades não podem celebrar suas missas a partir de meio-dia do domingo por causa da celebração no pátio do Carmo? Bem... A minha comunidade ficou sem sua missa. Nem ela se quisesse celebrar por conta própria pedindo para qualquer padre poderia pois ‘são ordens arquidiocesanas’... Inadmissível: repito! Ficamos sem a missa dominical. Pior: em Pentecostes! Imaginemos se Sua Santidade também resolvesse fazer a mesma coisa: todas as paróquias na face da Terra não celebrarão suas missas a partir de meio-dia do domingo pois o papa deseja que na praça de São Pedro todas as pessoas católicas se reúnam para celebrar Pentecostes... Ideia maravilhosa da grande celebração sim mas poderia ser sem impedir cada comunidade de também celebrar Pentecostes em qualquer horário no dia de preceito? Padres já são poucos! Entretanto nossa missa depois do meio-dia não haverá por conta das tais ‘ordens arquidiocesanas’... Impedir de celebrar missas então? Nem preciso frisar a NECESSIDADE que temos das missas. Tampouco do quão a missa tem importância.

No mais consultar o Código Canônico: por exemplo no Livro II quando trata de fiéis. Não cometo desobediência portanto pois obedeço minha fé católica”.


Nenhuma resposta recebi por enquanto.

sábado, 24 de agosto de 2013

Oração ao Santíssimo Sacramento


Nosso Senhor Jesus Cristo.

Toda cristandade por hoje vai perseguida sem trégua pois acreditamos em vós. O mundo teima não aceitar a vossa salvação. Então vos pedimos, Deus Salvador, que tenhamos força para conseguir enfrentar com coragem as dificuldades advindas de quem na verdade não nos persegue mas a vós tão-somente.

Muitas igrejas foram incendiadas e saqueadas em cidades egípcias. Fiéis até não puderam celebrar a festa de vossa Mãe que subiu para vosso reino: reino perfeito sem comparação com os mundanos daqui da Terra. Já sofremos perseguição por nossa cultura moderna que se faz mouca para vossa boa nova. Mas também podemos o martírio sofrer enquanto levamos a vossa palavra por lugares onde se prefere dar ouvidos a Maomé.

Não desejamos qualquer intolerância, Senhor, mas necessitamos levar a vossa palavra para todos os povos como nos ordenastes fazer. Assim se não a podemos levar em paz ao menos, novamente vos pedimos, tenhamos força para conseguir enfrentar com coragem as dificuldades advindas de quem na verdade não nos persegue mas a vós tão-somente.

Por vossa gloriosa paixão e morte de cruz.


Rezada na Capela de São Francisco
Vitória de Santo Antão
21. 08. 2013

terça-feira, 20 de agosto de 2013

A coloração das penas do galo.
Também um arco-íris.
Os doces das crianças...
Suas mães que dão comidas às galinhas.
Os pintinhos.
Chuva!
Tudo que nasce da Terra:
Poleiro.
Sustentação dos seres vivos.
Aliança com a divindade.
Sol.

06.02.2011
Tarde



Dialogar... Ê dificuldade! Bom saber: o diálogo porreta só temos com quem diverge de nós. A partir daí nos questionamos: por qual motivo tal criatura não pensa que nem eu? Melhor do que criar uma justificativa só nossa, desonesta por sinal pois desconsideramos o divergente parecer, é perguntar a razão da tomada de posição oposta. Quero ver!... Quem encara?




15. 11. 2012

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Entre Paganismos 1


Hoje presenciamos o renascimento de religiões pagãs nas plagas européias e também estadunidenses. Evidente que tal fenômeno também há de se dar aqui pois as influências do norte do globo são freqüentes, e pesadas até, sobre sua parte sulista...  Pesadas?

Esclareço.

Cá sempre tivemos religiões pagãs próprias. E sem precisar serem inclusive renascidas! As de matriz africana por exemplo. Contudo também temos agora paganismo com seus panteões estrangeiros...

Então sou contra qualquer influência de fora que nem a loucura de Policarpo Quaresma?

Não.



Entretanto sabemos do paganismo sua ligação com a natureza. Será portanto que ritos estrangeiros podem ser adaptados ou transpostos até para nossas florestas brasílicas? As religiões de matriz africana nasceram aqui... Conhecem como ninguém o meio natural no qual se fizeram...

As florestas de cá não são nem similares as florestas de lá. Para saber é só comparar os elementos tanto dumas quanto doutras. Enfim: é mais fácil por cá no meu quintal ver a passear Iansã que fadas célticas!

Talvez a proposta de reverenciar a natureza se diversifique tal qual cada lugar onde se faz o rito sagrado. Cada local tem ambiente natural próprio. Magia grega feita no Japão eficaz é que nem em sua terra? Suponho pela negativa.

Conclusão: é mais condizente para quem opta pelo paganismo nas terras ao sul da Terra tomar para si religiões pagãs oriundas de seus respectivos territórios que forasteiras.

Porém humildade tenho para mais estudos e melhores esclarecimentos.

sábado, 3 de agosto de 2013

Cantar Prostituído

Que digo pois de ti?
Mulher tão atraente
Bem és! E certamente
Com outra nunca vi
Maior se ter disputa
De gente tão honesta
Que só sabe que presta
Trepar contigo... Puta!

Mas não só gente sábia
Consórcio tem contigo:
Tem besta que perigo
Cai bem na tua lábia.
Casar até quem queira
Tu podes encontrar...
Boboca! Vai tomar
A mão duma rameira!

Tão doce tens um ser:
O belo que carnal
Comporta bem. E mal
Que só pode sofrer
Quem sem pudor disputa
Pois qualquer atenção
Se tua for então:
O teu mal, prostituta.

Meu canto te dedico,
Mulher de Satanás!
Das tuas ações más
Ouvidos meus penico
Fizeste por demais
Contando-me... Sem mais!
Ouvir tem pois quem queira
Conversa de rameira?

Que digo pois de ti?
Mulher tão atraente
Bem és! E certamente
Com outra nunca vi
Quem sem pudor disputa
Por qualquer atenção
Se tua for então:
Atenda pois, oh puta! 


17. 03. 2013
07. 07. 2013 

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Notas Esparsas 6


O senhor Buarque, senador pelo Distrito Federal, deseja que crianças de congressistas freqüentem escolas públicas... Elas, se tal proposta for posta na prática, vão estudar nas melhores escolas públicas... Adianta?

#

Mesmo com apagão tem gente que não quer hidrelétrica... Nem me venham dizer que seria melhor energias eólica, solar ou quaisquer outras "naturebas"... Desconfio de cata-ventos.



29. 10. 2012

sábado, 6 de julho de 2013

Assistindo Televisão 1



Com preguiça de fazer qualquer outra coisa resolvo ver os canais de televisão tanto da deputalhada quanto do Senado senil. Brasília! Depois de protestos até não mais poder no país do Carnaval trabalham a Câmara mais o Senado para dedéu? Bem... Aparentam trabalhar e só.

Três ou quatro projetos aprovados presencio. Também assisto de camarote toda palhaçada do circo chamado Congresso Nacional. Vamos então a bagunça? Dela só darei dois ou três exemplos.

Autonomia financeira da Defensoria Pública. Tal pauta defendida pela maioria. Deixando de lado discursos hilariantes contra de Sílvio Costa mais Mendonça Filho contemplo não sei quem a fazer uma retórica de defesa da Defensoria com o seguinte término: “Sem Defensoria não há democracia”.

Na galeria certamente temos a presença de representantes da Defensoria que batem palmas esfuziantes apoiando tal fecho ridículo.

Melhor seria: “Sem Defensoria não há demagogia”. Por qual motivo? Bajulam a Defensoria tanto que só faltam beijos de língua... Santa Virgem de Cimbres! Somente Miro Teixeira, depois de bate-boca com Mendoncinha, vai no cerne da questão: o motivo da votação.

E tudo que se faz agora no Congresso foi por causa da rua. “Nós precisamos escutar a voz da rua!”... “Pedido que da rua segue contemplado no projeto da casa”... “Soubemos aprender da rua como se faz uma democracia”... Quer dizer então que quem legisla por hoje... Sim! A rua!

Melhor seria dizer ao Congresso: “Rua!”.

Saio da Câmara. Chego no Senado. Votação em benefício de quem faz música no Brasil. Bem... Presente no recinto: Roberto Carlos. Um senador aproveita do momento para tentar parodiar do cantor seu mais recente sucesso com isto que vem a seguir: “Esses caras somos nós!”...

Já chega! Vou ver o Programa do Ratinho.

terça-feira, 25 de junho de 2013

Protestos Tolos


Gente que não entende de futebol... Critica quem torce pelo seu time... Diz: "Ignorante quem gosta disso!"... Mas quem ignora na verdade? Resposta: quem critica sem ao menos conhecer aquilo que critica.
 
Quer dizer que gostar de qualquer esporte deixa todo cérebro sem miolos?
 
Esses argumentos imbecis vêm juntos com os que são contra qualquer investimento na Copa da FIFA cá sediada... Quer dizer então que só se pode ter grandes campeonatos de futebol na Noruega?

Bem... Encontrando quem mendigue lá por um bacalhau posso também impedir tal país de sediar a Copa? Mas onde teremos afinal Copa? Sem copa? Sem futebol?

Vamos impedir também então o financiamento para quaisquer orquestras sinfônicas... Comprar um violino com tanta gente passando fome? Também espetáculos com MPB... Programas de televisão? Voltemos às épocas do rádio... Rádio? Sem rádio!... Computador? Óbvio que não pois ostentação é...

Criticar gastos exorbitantes ou quaisquer coisas tronchas? Tudo bem! Não ter Copa? Vão lavar roupa!

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Avisar é Bom




Ontem as bandeiras de São Paulo, tanto da cidade quanto da província, sofreram o vandalismo perpetrado pela manifestação popular contra... Sabe-se lá!

Simbolicamente tocaram fogo por São Paulo toda... Mas quem não conhece civismo lá sabe disso?

Queimando quinta-feira nossos pavilhões ao poder judiciário denunciarei tal barbárie. Sim: exercerei com competência, diferente de quem manifesta sem saber contra quê, minha cidadania.

Sem mais.

sexta-feira, 7 de junho de 2013



Ê mania de por qualquer besteira se desfazerem relações antes chamadas amizades e também assim propagandeadas aos quatro ventos! Sim: não conversarei sobre divórcio. Mas considero qualquer amizade que nem bom casamento: só quem sem o sexo.

Por favor heterossexuais com amizades de mesmo sexo: sem veadagem! Também mulheres amigas de machos ou todos os homossexuais com amizades no sexo divergente: sem maldar então? Sem frescura! Nenhum enrustido: sim? É sem transa sexual. Mas... Pode ter amizade colorida! Bem... Vamos voltar a linha de raciocínio?

Digo como se não fosse comigo. Bem... Realmente nada comigo tem a ver. Não sou pessoa de por qualquer besteira desfazer amizade: suposta, na verdade, se de tal maneira finda... Só com algo muito sério dou cabo. Minhas relações, inclusive desde coleguismo, levo na seriedade. Melhor: quem quiser, e tiver coragem, de saber em que pé minha relação está consigo podemos conversar. Disposição de minha parte não há de faltar! E por mim sinceridade tomará conta: sem papear em vão assim.

Entretanto percebo do proveito que gente safada tira da situação amistosa sem qualquer esclarecimento. Sem cobrança: dizem. Atitudes humanas não são cobráveis? A lei cobra de qualquer gente cidadã que cumpra com seus deveres e respeite todos os direitos alheios aos seus: não?

Tal gentalha por sutil sacanagem age portanto: sem compromisso mas com benefício. Basta ter um momento difícil para dar um fora. De todas com tal perfil de mau caráter a pior é quando se diz amiga de qualquer pessoa... Bom sair de perto sem nem pestanejar!

Mas, enquanto fico de reclamando que nem uma velhota, nos espetáculos de música “popular” brasileira cantam a plenos pulmões, até com lágrimas escorrendo dos olhos mais fungadas no nariz cheio de ranho, que devemos guardar amizades debaixo de sete corações e catorze rins... Não: melhor! Só são sete rins também pois os outros sete foram transplantados de pessoas amicíssimas para suas melhores amizades...

Hipocrisia do cão!

É tanta putaria que para prestar um melhor esclarecimento vou listar alguns exemplos. Nada picantes mas tão pervertidos que só lendo! Bem... A saber então.

Gente já prometeu me dar estadia na sua terra natal quando de minha possível viagem para lá. Contudo quase comigo não tem contato: nem para me dar sinais de vida! Com exceção de quando por insistência tento dar duas palavrinhas com ela. Quê? Choramingo? Vão pastar! É só dizer: não estou para conversas. Ah!... Mas... A pessoa vai ser deselegante? Melhor assim que falsa! Ter estada no lar de quem mal conheço? Prefiro pagar e ficar em hotéis. Não acreditam na sua negligência para comigo? Nem quando bodes entregavam cartas era tão penoso conseguir qualquer comunicação. Ela que venha me desmentir se puder!

Próximo.

Gente que, comigo com altíssimos papos antes, após propor amizade sem mais nem menos não quer olhar na minha cara. Simplesmente me deixa no gelo. Gosto de temperatura serrana vez em quando que nem Garanhuns: mas não a Sibéria! Pior é que não adivinho. Qual motivo do rompimento repentino? Talvez eu mereça saber... Não? Que carência!... Que carência? Será carência minha não desejar dar cobertura para qualquer alheia cretinice? Não saber nem expressar o que sente de verdade por alguém? Mas cobro demais? Exijo das outras pessoas o mesmo tanto que de mim sem tirar nem pôr.

Mais um.

Apesar de por vezes eu cometer deslizes, e com autopoliciamento digno de BOPE, tento rapidamente corrigi-los. Nem por tal velocidade recebo confiança! Pisar na bola precisa? Não! Uma pisadela de dondoca que desconhece futebol basta! Gente já toma distância de mim que nem lepra no tempo de Jesus... Santa Maria! Julgamento sumário. Mas quem é que cobra demais? Vamos adivinhar: eu. Que maravilha!

Chega! Nem entro nas disputas ditas ideológicas. Já perdi muitas supostas amizades por não conseguirem lidar com meros debates intelectuais. E nem vou mais perder tempo com isso! Não sabe perder? Não sabe ganhar.

E da pessoa que se diz amiga sua mas também tem amizade com outra que lhe sacaneou? Vou deixar passar desta vez.

Não posso querer de minhas amizades intimidade? Melhor não é dar então o nome certo das coisas e chamar logo de coleguismo? De sacanagem das grossas ou qualquer coisa que valha?

Puta merda!

Mas é por isso que não desejam amizade minha! Que chatice! Mas... Quer saber? Vão tomar no cu.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Por um Adiamento


Fiz questão de deixar em pratos limpos que por mim qualquer universidade brasileira deveria ser destruída: ninguém sentiria falta. Com exceção de quem vagabundeia.

Muita gente já defende tal sentença: só sou mais alguém apoiando.

De manhã defendi bem isso. Para quem? Não interessa. Mas de noite são outros quinhentos!...

Ao campus da Federal de Pernambuco, no Recife, chego pela metade das vinte. Tomarei condução nele para minha cidade natal na zona da mata. Passando por um dos centros acadêmicos em busca da bexiga relaxada topo... Com um concerto barroco!

Pessoas em meia-dúzia na plateia de Bach por um sítio quase deserto: pleno recesso. Normalmente durante todos os dias com aulas ou são protestos idiotas e ridículos ou ridículas intervenções artísticas... Escolher?

Enfim... De qualquer modo posso dar uma colher de chá. Qual? Por um adiamento na completa falência dos cursos superiores brasileiros. Algumas coisas neles precisam de salvação.

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Índice Pornográfico



Sou fã de pornografia. Gosto de ver lindas mulheres desnudas. E trocando carícias entre si também. Mas não vou dar azo para minha tara cá.

Problemas há de tuia nas indústrias pornográficas. Mas um interessante me faz pensar.

Um dos meus sítios prediletos com fotos quentes possibilita ver a nacionalidade de cada modelo. Não é que boa parte delas são de países europeus ao leste de seu continente?

Nossa! Que mulheres belas são as suas... Agora por qual razão tantas delas se desnudam por aí? Talvez a situação econômica difícil.

Complicada situação apesar de minha não ser... Em mim a vontade lateja com olhos indiscretos ao ver seus corpos nus.

Êta! Confesso portanto minha parcela miúda de culpa nisso. Mas... Elas são tão lindas! Sinto muito mas não deixarei de colocar em meus olhos colírio dos bons.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Notas Esparsas 5


Vergonha do povo de ciências humanas diplomado que tem preguiça de ler!... Nem um livro por mês conseguem dar cabo. Deve ser por isso que valorizam mais diplomas que conhecimento...
Pior são as pessoas que lêem uma carrada de livros e não absorvem seu conteúdo. São idiotas que nem as anteriores... Ainda mais quando são sem caráter algum! Hipócritas! Melhor honesta gente sem ler um livro na vida que gente sem valor erudita.
Mas... Intelectualidade do Brasil? Normalmente não lê. Quando lê conteúdo nenhum absorve. Daí para reinar a malandragem é conseqüência. Gente desavergonhada!

+

Serpentes sob folhas caídas...
Serpentes sob folhas caducas...
Serpentes sob folhas secas...
Serpentes sob folhas demais...

Surpreendentes...
Serpentes.

+

Bem e mal: prodígios e monstros. Quando tratamos de tais seres espetaculares o fascínio sempre sobressai como sentimento mais forte. Nossos corações viram campos de batalha renhida disputados por monstros e prodígios... A dor é conseqüência. Quem sobreviverá?

+

Deveríamos nos atrever a desobedecer qualquer divindade para valorizarmos a baixeza? Nunca! Mas podemos. A perversidade deseja cada vez mais o tratamento profano de tudo. Satanás a ponto de sofrer sua queda...




24. 10. 2012

sábado, 13 de abril de 2013

Bestiário Particular



Existem animais fantásticos que na verdade são reais. E supostos reais que são do mundo da fantasia.

Comprovo.
 
Dragões. Em qualquer momento posso ver um. E tenho certeza disso. Morro sem ver mas ainda crendo que possibilidade não me falta, quando no viver ainda, de presenciar a qualquer momento dragões cuspindo fogo pelas ventas. E chineses. Os da Mesopotâmia são verdadeiramente fictícios.
 
Quem discorda de mim cuidado: Leviatã pode ser açulado contra tua descrença. Jó quase se lascava!
 
Também a fênix. Quase ninguém a vê pois ela põe seus ovos em lugares remotos egípcios. E raríssima! Não morre mas...


Bem... Os supostos reais que de fato não existem? Ornitorrincos. Eu posso ver e tocar mas continuarei descrendo. Nossa tecnologia vai tão avançada que fabricamos até supostas realidades. Mas a verdade sempre vem a tona. Bicudo com pelo? Qual é! Quem tem bico tem pena.

Deve ter vários outros exemplos além dos ornitorrincos... Entretanto chega de citar monstrengos.

É triste que tenha gente sem inteligência que propaga que dragões não existem. Idiotas! E depois querem me fazer acreditar em ornitorrincos... Ora: por favor!


domingo, 7 de abril de 2013

Notas Esparsas 4


“Nas alturas! Para ninguém conseguir ouvir qualquer ruído... Vamos: nas alturas!”: digo com uma raiva daquelas!...

E já nada de concentração... Tudo disperso nas ondas sonoras saídas dos aparelhos em alto volume de minha vizinhança.

Tecnologias: que saudade daquelas onde carrilhões e fogos atendiam mais aos ouvidos.

Hoje quem não tem seu som espancador de tímpanos em casa? Silêncio: jaz!

_


Nós educamos as crianças com o quê? Já se foi com minha bisavó seu tempo que jovens de maioridade plena tinham inocência. Não digo que gente com quatorze não possa ser informada sobre sexo por exemplo. Mas dez, oito, seis até... Nem preciso dizer por onde são informadas: televisão e rede mundial são dois meios exemplares. Sem qualquer cuidado! Desde que prestei meus ouvidos a muita gente conservadora deixei de zombar delas... Tudo tem seu tempo.

_


Qualquer um ansiosamente quer amor incondicional. Todavia dois quaisquer o tornam impraticável. Sem amor nada seríamos? Talvez ódio. Paulo lembro pois a caridade na sua consideração é sem limites. A caridade vem a ser amor. E relacionada com a divindade cristã. Que culmina no que diz João: “Deus é amor”.




21. 10. 2012

domingo, 31 de março de 2013

Prenúncio do Martírio?

Já quase não suporto tantos vitupérios dirigidos ao catolicismo. Por trás deles as exigências mais absurdas são defendidas! Só podem ser consequentes de mentes demais imbecis ou sem caráter algum... Êta!

Bem... Então fundem instituições perfeitíssimas! Que saibam interpretar muitíssimo bem a mensagem de sua liderança querida!

Pior é que já tentaram... E foi desastre! Tomemos o comunismo genocida por exemplo.

Com a sociedade supostamente laica na qual vivemos espero me preparar para futuras perseguições que terei de sofrer. Força, Moura Gonçalves! Querem racionalmente debater e deixar de mentiras espalhar por aí? Não! E não me resta senão aguentar o rojão bravamente.

Mas... Exagero? Não. Enquanto nos odeiam de coração os discursos, repletos de farpas, vão sendo proferidos sem possibilidades de réplica. Se fingem ouvir é só para manter o seu parecer contra com bastante teimosia. Sem razão até desancam quem se propõe defender "o monstro" chamado religião.


quarta-feira, 27 de março de 2013

Para Chatear

Uma das conclusões importantíssimas encontradas por mim: precisamos de mais gente chata no mundo.

Pessoas chatas são mais honestas!

Incomodam-se com honestidade tal? Sejam chatas que nem elas!

Sei que tudo demais faz mal. Não é preciso qualquer coisa ser em demasia. Nem a chatice. Portanto nada de vir com a balela de que chatice seria demais se todos os seres humanos fossem chatos. É só cada maneirar na sua.

Normalmente não concordam que seria legal todos serem legais? Eu discordo.

Mais educação? Menos hipocrisia?

Mais chatice. Menos camaradagem.

Mas... Sem falsidade? Sem chance! Ninguém deve ser legal mas mentir ainda vale.

Propor isso cá no Brasil? Palavras ao vento.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Francisco

Com apreensão soube do nome novo papal: Francisco. Nada contra quem era companheiro de Clara! Mas o pobrezinho tão mal compreendido vai pelas cabeças mundanas hodiernas!... Até que, para minha felicidade, soube ser conservador quem carrega tal nomeada. Bem... Ufa!

Não se pode porém vitória cantar antes do tempo. Temos que ver o pontificado. Mas o nome já me soa bem agora! Francisco foi restaurador. Não revolucionário. Restaurar é para manter a casa de pé: não derrubar e fazer outra. Lembremo-nos de Joaquim de Flora. Que não é Francisco d’Assis.

domingo, 10 de março de 2013

Madrigal Capilar


Dos cabelos os versos
Cantam os toques do suave vento.
Por ver eles conversos
Em um inigualável movimento
Bem os amo... Contento
Mais uma vez em ver belos passar...
A beleza voar...
Leila no bulevar a passear!
Dos cabelos os versos
De contêr universos
Jamais dos pensamentos são dispersos.

1º semestre de 2007

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Notas Esparsas 3 [Renúncia Papal Mais Afins]

Estamos em uma situação difícil: podemos negar? Uma renúncia papal não é costume. Difícil... Melhor: dificílima para quem é do catolicismo! Principalmente feita por Bento XVI. Lembremo-nos de quão ele foi defensor da Tradição Apostólica... Mas acatemos a decisão com esperança. Certamente que melhor escolha não poderia ter sido feita. Vamos rezar: o melhor que podemos fazer então.

#

Vejamos a mídia mas em seguida logo fechemos os olhos. Imprensa dificilmente sabe do que noticia: não vai ser agora tempo de mudança portanto. São ignorantes até dar dó quase todas as pessoas da classe jornalística. Bem... A cobertura da renúncia de Bento XVI é tão exemplar! Exigir mudanças na religião católica que cheguem a desfigurar os fundamentos de seu catolicismo? Poupem-me de tanta sordidez!

#

Não é tão simples... Está prevista: concordo. Contudo se formos observar as renúncias anteriores todas elas foram feitas em momentos delicadíssimos e desagradáveis até dizer: chega! Nada de prazer sádico pois Wojtyla quis exercer ainda por completo seu papado. Qualquer papa pode dizer que não vai viajar e mandar representante, por exemplo, sem precisar renunciar ao pastoreio. Tomara que Ratzinger saiba bem o que faz. Ele foi papa de transição por ser muito velho. Não era carismático mas está com acertos ao largo seu pontificado. Conhecido por ser intelectual compreendia com profundidade toda doutrina também assumindo sua defesa brilhantemente. Tenho minhas divergências com ele porém... Espero que não vire moda doravante renúncias!

#

Sobre Concílio Vaticano II. Fiquei com um interesse grande nele nos últimos dias por querer indulgência plenária. Bem... Ano da Fé! Mas estudando seus documentos cheguei na conclusão difícil de mudar: cagaram a valer nele!... Graças aos céus que tal parecer meu dificilmente será motivo de qualquer escândalo! Melhor: escândalo de verdade foi tal concílio.





13. 02. 2013 mais Hoje

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Notas Esparsas 2


Até que vez em quando sinto vontade de saber as reações humanas perante seres ditos inteligentes que não sejam da Terra. Caos e diversão talvez aí poderiam cônjuges me proporcionar uma felicidade passageira, mas singular, única pelos momentos loucos onde seres humanos estariam prestes a descobrir sua realidade fatídica de nada saber sobre qualquer cousa. Momentos que se descambassem em agressões a tudo considerado bem estabelecido... Nossas seguranças, antes agressoras, agredidas agora. Por um breve tempo, porém, infame felicidade frágil! Só com brevidade, pois eu também sou mais um ser humano, não qualquer divindade com apoteótico dilúvio.

...

As instituições sociais cada vez mais cumprem menos o seu papel. Tanto descumprem que vez por outra vamos opinar que sempre nenhuma cumpriu. Todavia seria pretensão cafajeste tomar opiniões por verdades. E talvez ingratamente não percebemos o quanto de bobagem levamos a sério na distorção da realidade por causa do momento que tudo que consagramos importante se descamba para nada.

...

Qualquer ansiosamente quer amor incondicional. Todavia duas pessoas quaisquer o tornam impraticável. Sem amor nada seríamos? Talvez ódio. Bem... Atenção: gente não falta mas boas escolhas sim. E também maleabilidade por parte de quem deseja. Não conto com quem espera pois nem consideração minha merece toda preguiça. No mais é bom parar de suspirar e... Maturidade.



13. 10. 2012

domingo, 20 de janeiro de 2013

Trégua de Santa Paula Fernandes


Paula Fernandes faz um bem danado!

Nada digo de sua beleza física. Tampouco do tipo de música que canta (velha conhecida no mercado musical não tão salutar). Apesar de por completo não excluir as objeções acima referidas para justificar a razão do bem que tal criatura me faz elas sós pouquíssimo valem.

Ela canta muito!

Feliz estou pelo seu sucesso. Nos lugares onde comumente se toca barulho bem ouço por agora... Quem? Não fiz preces mas Santa Paula Fernandes atendeu meu desejo: que bênção! Ouvir uma voz tão doce por qualquer parte faz adocicar também a vida normalmente salgada.

No mais? Mais sucesso!

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Primeiras Reflexões Amistosas

Meu temperamento não é dos melhores... Confesso! Sou pessoa metediça... Reclamona... Chata. Sempre dou meu melhor em ser assim. Portanto conto nos dedos com quem tenho relações amistosas. Entretanto não há motivação para se ter mais simpatia! Maior parte do povo: superficial de dar até dó.

Com as tentativas frustradas de conviver desembaraçadamente com quem quer que seja consegui por "sangue, suor e lágrimas" aprender a não consolidar qualquer relação sem antes obter certeza de tal valer a pena.

Vago?

Com algumas palavrinhas explicativas por si, jogadas, vamos adiante: lista segue. Constância. Sinceridade. Também intimidade. Confiança. Lealdade. Paciência. Compreensão. Atitude. Companheirismo. Solidariedade. Convivência. Seriedade. Por enquanto basta! Senti muita falta disso tudo. Parece que conseguir "amizades" só serve para conversar amenidades!...

Amizade: que nem casamento. Mas sem sexo... Normalmente pelo menos. E casamento das antigas!...

É bom salientar: exijo mas pratico também.

Enfim... Hei de continuar na minha chatice. Bem... Antes só que com má companhia.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Sacerdotisas Católicas

Em uma de minhas conversas proveitosas com seminaristas indaguei para qualquer um deles da razão de não constar sacerdotisas na religião católica. Sua resposta se baseou, penso, nos quadros representativos da santa ceia, concluindo daqui que lá, primeira celebração do sacramento da comunhão, quem era macho ministrava como também a quem foi delegado tal poder era do sexo masculino: portanto sem fêmeas.

Tanta compreensão sobre desígnios divinos admirável é. Pena que não tenhamos tantas pessoas assim que pensem com esta capacidade formidável de dedução. Todavia pequenos deslizes ele cometeu: nada que comprometa meus elogios anteriores porém. Vou citá-los para ressaltarmos mais ainda seu zelo pela casa de Deus: assim aprendermos como não sermos nem lambidos pelas chamas infernais sequer as fagulhas.

Seguinte.

Não sabemos realmente quem estava na santa ceia. Por qual razão? Sim: os doze comiam mais Jesus desta maneira sendo treze. Treze que se faz outra vez funesto? Não. Deixemos em paz o número treze que não tem culpa de sermos... Seres humanos!

Pessoas além da dúzia participavam deste banquete. Quem?

Vejamos outros dois seres humanos a caminhar tristonhos. Aproxima-se deles mais um: conversam. Papo vai... Papo vem... “Fica conosco”: diz um deles; “Já vem a ser tarde!”. Desta maneira, por regras hospitaleiras tão caras aos povos orientais talvez, dois abrigaram um. Enquanto quase comiam a janta tal cristão desconhecido foi reconhecido... Jesus! Mestre! Cristo! Ladainha... Sumiu.

Sim: e daí?

Na partilha do pão no quase-jantar houve seu reconhecimento.

Podemos certificar com essa passagem bíblica que saberíamos destas duas pessoas saídas de Jerusalém agora na mesa sagrada ladeada pelas outras doze com o verbo de Deus antes onde foi partilhado pão.

E por qual razão não podemos contar com mais presenças neste momento?

Nenhuma.

Ressuscitado, como crê todos os adeptos do cristianismo, Jesus, o Mestre, talvez nosso Cristo, deu privilégio primeiramente para Maria Madalena ver o milagre: sabedora de camarote por conseguinte do maior mistério de fé da futura religião. Também ela não poderia comer? E mamãe Maria não poderia se deliciar com o corpo de seu filho para depois sofrer com o mesmo corpo pregado num madeiro?

Que situação indigesta!

Mas, esquecendo nossos intestinos, temos o catolicismo, chamado de santa madre, não possibilitando suas filhas exercerem o sacerdócio. Sei que temos, a maior parte certamente, mães machistas. Entretanto...

Compreendo que já virou tradição ordenar só machos. E não é Roma que poderá mudar assim prestes tal situação milenar sem questionar o seu papel como mantenedora do tradicionalismo. Não questiono mais dentro das hostes católicas impossibilitar sacerdotisas pois a religião precisa ser defendida mais do que nunca por nossos tempos: evidente que lutamos não pela sua sobrevivência, garantida pelo filho de Maria, mas pelos bons costumes e pela moral.

Cá não ironizo: creiam.

Enquanto creio no catolicismo todavia sinceramente deixo meu protesto no seguinte parecer: a santa madre poderia tomar coragem e considerar sacerdotisas, episcopisas... Até papisas quem sabe! Já posso nomear uma com Úrsula I: gosto tanto de tal nome forte quanto de suas virgens inúmeras quase...

Sabemos da falta que faz quem exerça diversos ofícios sacerdotais. O diaconato não se fomenta. Muitas comunidades assistência sacerdotal nenhuma recebem. Sem contar a forte renúncia que se faz para tomar encargo tal: celibato por exemplo, que vem sendo tema recorrente na mídia vexatória, faz parte.

Discordo da visão simplista feminista que considera todo catolicismo tão-só patriarcal. No princípio da cristandade tal fé foi considerada religião de mulheres! Nem preciso lembrar da virgem Maria. Sei que contraposições de feministas histéricas existem: podem ser derrubadas em dois tempos mas... Que tal resgatarmos o lado feminino de Deus? Desde por Isaías até com Hildegarda de Bingen temos essa perspectiva não só mais formosa como também mais acolhedora. Eu tenho certeza que dela precisamos. Talvez por causa de sua falta não consideramos ainda mulheres aptas a partir o pão eucarístico.

No mais que Nossa Senhora nos proteja!