quinta-feira, 18 de maio de 2017

A musicalidade da língua portuguesa não é maravilhosa? Mas infelizmente sem a comunhão com as músicas instrumentais ditas eruditas tal idioma se pronuncia. Não somos Itália! Porém ainda teimo que ganharíamos mais além do que por hoje ganham as gentes da bota pois arrisco que nossa tão maltratada língua seja mais musical.


Quem deseja defender novas idéias bem ou contribuir decisivamente para debates intelectuais de relevância parte do pressuposto de já conhecer com desenvoltura sua cultura. Bom acrescentar: apesar de termos a tacanha cultura brasileira! Toda criança balbucia tudo que tenta dizer a partir dos ensinamentos maternos e não através de poliglotas com renome.


Ninguém de Pernambuco será capaz de se sobressair intelectualmente negligenciando sua tradição natal. Digo tanto não só por causa de qualquer educação que só pode se desenvolver a partir dos elementos dados pela cultura materna mas também por ser a Cultura de Pernambuco singular em sua grandiosidade diante da mesquinhez brasiliana.

Quem aquilo que vai dito de provinciano chamar ou, pior, de bairrismo só poderei dizer: “Tua mãe, grande freqüentadora do Chanteclair em seus tempos áureos, discorda de ti com veemência”.


Pereira da Costa tinha boa proposta de brasão novo para Pernambuco. Mas o nosso pavilhão é perfeito: portanto mudar em nada com exceção de pôr em acréscimo duas estrelas a mais para ladear a já posta.


Fernando Pessoa não era bom ocultista. Gente que sabe bem ocultismo não foge de ser uma boa charlatã. Tal afirmação sem titubeio vai bem exemplificada na vez em que Crowley tem encontro com Pessoa. Portanto devemos nos debruçar sobre “Mensagem” e não dedicar atenção ao “Livro da Lei”.


Os harmônicos acordes da música por excelência certamente são melhores que quaisquer notas dissonantes dadas em sons juvenis atuais. E não dá para dissociar Deus daquilo que fazemos em música de melhor e nem abandonar as associações feitas a Satã com as quebras desafinadas de composições ditas musicais. Assim não entendo tanto rebuliço quando se bem afirma que ritmos juvenis hoje podem ter interferência satânica profunda.


Musa de Quipapá... Musa do Forró sem Pé nem Cabeça... Musa “Gentil” da Copa... Musa do Rebolado... Musa da Ninfa Calipso... Musa da Puta que Tantas Supostas Musas Pariu! Chega! Vamos entender: existem só nove Musas! E mais uma pois assim foi nomeada por Platão. Safo, portanto, vem a ser único ser humano que faz parte do panteão das Musas pois quem lhe deu tal privilégio tem cacife. Não esqueçamos: Platão é divino!