sábado, 23 de junho de 2018

Os corpos das modelos pornográficas... 
Coristas e fadistas a cantar...
Bons livros fabricados em mil gráficas...
Com gente fina sempre festejar...

Arengas em que vou ter sim razão...
Viagens que percorrem Pernambuco...
Carinhos femininos (Coração!)...
O jovem interesse bem educo...

Conversas a saber e de contar...
Da guapa Macarena: procissão...
Na praia de tomar banho de mar...
As contas do rosário ter a mão...

Enfim!... São bens alguns que bem persigo:
Vislumbres que dos Céus tenho comigo.


09. 05. 2018
Madrugada

segunda-feira, 11 de junho de 2018


Se Luciana foi doce comigo
Também quis ser cruel... Impiedosa!
Quis atrair-me para si? Bendigo!
Mas sem me dar a parte mais gostosa...

Seu doce quero não só na vitrina!
Seu doce de findar a minha fome...
Seu doce tão docinho!... Coisa fina
Que de saborear bem me consome.

Tal acepipe sim: inolvidável!
Com cheiro que tão íntimo revela
De toda natureza tão amável
Seu bem inalterável que desvela

Do gozo seu princípio verdadeiro: 
Sustento de manter um ser inteiro.

segunda-feira, 4 de junho de 2018


Camila pisa: sítio sacrossanto...
Camila diz: é cântico dos cânticos...
Camila faz: não há melhor que quanto!...
Camila nos amores dos mais tântricos.

Manifestando Vênus ou Sofia
Camila beira no composto divo:
Tal criatura bem apalparia 
Calor e luz por quem com nervo vivo

Compreendesse sua singular
Maneira de viver: ou ser Camila.
Compreender imenso pois o mar!...
Compreender verdade de senti-la.

Formosa maravilha de portento  
Que tanto de louvar já não aguento!


04. 04. 2018
Madrugada

quinta-feira, 31 de maio de 2018


Busquei Marília sem ter o desvelo
Do ser enamorado... Só fiquei.
Buscar um passarinho!... Quis contê-lo...
Com afoiteza sim: afugentei.

Tal pressa de viver uma só vez...
A juventude sabe do melhor.
E quis buscar o meu que se desfez
Em um momento pleno mas com dor.

Buscar os céus é só buscar Marília.
Marília tão alada qual um anjo
Talvez ainda volte mais um dia

Qual doce passarinho de pousar
Bem no meu colo... Sim: não mais o tanjo.
Comigo faz seu ninho... Seu lugar.


04. 04. 2018
Madrugada

quinta-feira, 24 de maio de 2018


Vanessa contemplei com meus olhares
Que nunca devoção alguma pôs
Tão bem aventurada por deidades
Das mil que vão o mundo mal compôs.

Quem traça formosura tão potente
Só pode ser um ser enquanto tal!
Ninguém desenhará tão docemente 
Figura de feição original

Que nem a desenvolta carne vista,
Com alma de dar cor ao ser mais lindo,
Por mim: no privilégio que me lista
De não ser um alguém mal preferindo.

Visão que beatífica já vi:
Sem dúvida Sofia conheci.

segunda-feira, 14 de maio de 2018


A Mônica contei minhas fadigas...
Os lances mais atrozes do meu fado...
Quaisquer de minhas culpas em mil brigas...
E percebi que conto com agrado.

Talvez com exageros quis dizer 
Algumas dores ásperas ainda, 
Não bem cicatrizadas, para ver 
Seus olhos piedosos em vez linda

De dar ouvidos às minhas misérias 
Com tal afeto nobre na beleza 
Que forte por seu corpo são artérias 
A sangue bombear com grã presteza

De ser a comoção que faz seu pranto:
Bem ao meu coração que lhe quer tanto! 


07. 04. 2018
Madrugada

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Voz Masculina


Suporta-te, na dor, meu sacrifício...
Suporto sem um ai só tua dor!
Jamais lha disse de não ser difícil!...
Comporta pois contigo meu amor.

Não hei de suportar assim quem sofre
Se com amor não queres ser mulher!
Por ter postura forte sendo nobre
Meu corpo pede só do teu prazer.

Meu corpo pede só do teu depois
Descanso... Nos dois colos!... Teus quadris
Ou teus seios que, tão belos e gentis,
São de compreender um ser em dois.

Se para mim conservas tal repouso
Façanhas mil então enfim bem ouso!


04. 04. 2018
Madrugada