sexta-feira, 7 de junho de 2013



Ê mania de por qualquer besteira se desfazerem relações antes chamadas amizades e também assim propagandeadas aos quatro ventos! Sim: não conversarei sobre divórcio. Mas considero qualquer amizade que nem bom casamento: só quem sem o sexo.

Por favor heterossexuais com amizades de mesmo sexo: sem veadagem! Também mulheres amigas de machos ou todos os homossexuais com amizades no sexo divergente: sem maldar então? Sem frescura! Nenhum enrustido: sim? É sem transa sexual. Mas... Pode ter amizade colorida! Bem... Vamos voltar a linha de raciocínio?

Digo como se não fosse comigo. Bem... Realmente nada comigo tem a ver. Não sou pessoa de por qualquer besteira desfazer amizade: suposta, na verdade, se de tal maneira finda... Só com algo muito sério dou cabo. Minhas relações, inclusive desde coleguismo, levo na seriedade. Melhor: quem quiser, e tiver coragem, de saber em que pé minha relação está consigo podemos conversar. Disposição de minha parte não há de faltar! E por mim sinceridade tomará conta: sem papear em vão assim.

Entretanto percebo do proveito que gente safada tira da situação amistosa sem qualquer esclarecimento. Sem cobrança: dizem. Atitudes humanas não são cobráveis? A lei cobra de qualquer gente cidadã que cumpra com seus deveres e respeite todos os direitos alheios aos seus: não?

Tal gentalha por sutil sacanagem age portanto: sem compromisso mas com benefício. Basta ter um momento difícil para dar um fora. De todas com tal perfil de mau caráter a pior é quando se diz amiga de qualquer pessoa... Bom sair de perto sem nem pestanejar!

Mas, enquanto fico de reclamando que nem uma velhota, nos espetáculos de música “popular” brasileira cantam a plenos pulmões, até com lágrimas escorrendo dos olhos mais fungadas no nariz cheio de ranho, que devemos guardar amizades debaixo de sete corações e catorze rins... Não: melhor! Só são sete rins também pois os outros sete foram transplantados de pessoas amicíssimas para suas melhores amizades...

Hipocrisia do cão!

É tanta putaria que para prestar um melhor esclarecimento vou listar alguns exemplos. Nada picantes mas tão pervertidos que só lendo! Bem... A saber então.

Gente já prometeu me dar estadia na sua terra natal quando de minha possível viagem para lá. Contudo quase comigo não tem contato: nem para me dar sinais de vida! Com exceção de quando por insistência tento dar duas palavrinhas com ela. Quê? Choramingo? Vão pastar! É só dizer: não estou para conversas. Ah!... Mas... A pessoa vai ser deselegante? Melhor assim que falsa! Ter estada no lar de quem mal conheço? Prefiro pagar e ficar em hotéis. Não acreditam na sua negligência para comigo? Nem quando bodes entregavam cartas era tão penoso conseguir qualquer comunicação. Ela que venha me desmentir se puder!

Próximo.

Gente que, comigo com altíssimos papos antes, após propor amizade sem mais nem menos não quer olhar na minha cara. Simplesmente me deixa no gelo. Gosto de temperatura serrana vez em quando que nem Garanhuns: mas não a Sibéria! Pior é que não adivinho. Qual motivo do rompimento repentino? Talvez eu mereça saber... Não? Que carência!... Que carência? Será carência minha não desejar dar cobertura para qualquer alheia cretinice? Não saber nem expressar o que sente de verdade por alguém? Mas cobro demais? Exijo das outras pessoas o mesmo tanto que de mim sem tirar nem pôr.

Mais um.

Apesar de por vezes eu cometer deslizes, e com autopoliciamento digno de BOPE, tento rapidamente corrigi-los. Nem por tal velocidade recebo confiança! Pisar na bola precisa? Não! Uma pisadela de dondoca que desconhece futebol basta! Gente já toma distância de mim que nem lepra no tempo de Jesus... Santa Maria! Julgamento sumário. Mas quem é que cobra demais? Vamos adivinhar: eu. Que maravilha!

Chega! Nem entro nas disputas ditas ideológicas. Já perdi muitas supostas amizades por não conseguirem lidar com meros debates intelectuais. E nem vou mais perder tempo com isso! Não sabe perder? Não sabe ganhar.

E da pessoa que se diz amiga sua mas também tem amizade com outra que lhe sacaneou? Vou deixar passar desta vez.

Não posso querer de minhas amizades intimidade? Melhor não é dar então o nome certo das coisas e chamar logo de coleguismo? De sacanagem das grossas ou qualquer coisa que valha?

Puta merda!

Mas é por isso que não desejam amizade minha! Que chatice! Mas... Quer saber? Vão tomar no cu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário