quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Ao se Defender

Os estragos, aqui supostos meus, não são estragos simplesmente
Mas um lado da vida que teimamos esquecer.
A vida só com acertos não a conheço.
Também sei que todos os estragos são conseqüência dos erros.
E tão-somente meus? Impossível!
Minha vida não faço só: convivo.
Quando vamos assumir então os nossos erros?

05. 03. 2013
Tarde

Nenhum comentário:

Postar um comentário