terça-feira, 8 de julho de 2014

Foda

São exigidas por diversas vezes que tomemos atitudes... Mas tais atitudes são realmente necessárias? Quaisquer atitudes possíveis de serem imaginadas e também assim exigidas... E quem as considera de suma necessidade? Só quem as exige? Se for só quem as exige: por onde vão as outras pessoas? As que vão sofrer, por exemplo, se tais atitudes forem tomadas? Ou melhor: pensas em quem obrigas a tomar tais ou quais atitudes advindas tão-só da tua cabeça? São importantes ou pensas em umbigo teu?

Já me disseram que não sou pessoa de tomar atitudes... Mas quais? As atitudes necessárias só para quem diz que não as tomo? Só vou tomar então atitudes que são para mim, e somente para mim, necessárias: sim? E quem sabe bem avaliar quais as melhores atitudes a serem tomadas vem a ser eu.

Dizem mais: além de não tomar atitudes só sei tagarelar... Ah! Quer dizer assim que descrever algo que tenho grande consideração a ponto de sobre tal coisa me pôr a trabalhar em escritas mil vem a ser tagarelar? Pior de tudo: recebi tal reprimenda de quem aprecia meus textos... Aprecia? Talvez apreciava. Melhor pensar que fingia? Não sei. De qualquer modo bom é tomar primeiramente de minha convivência para depois julgar se minha tagarelice vem a ser sim ou não útil. Quem sabe tanto palavreado não sirva para melhorar a minha vida? Também a de quem me rodeia?

No mais acrescento: gosto de pôr no papel com sangue. Não é qualquer tinta vagabunda portanto. Bem... É clichê mas infelizmente verdade. Talvez as atitudes que tomo são escrever da maneira nunca sonhada por quem tem costume de descrever toda realidade de forma superficial por não compreendê-la com a profundidade precisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário