segunda-feira, 6 de junho de 2016

Questiúnculas Talvez Importantes

Ler Evaldo Cabral de Mello só pode ser aula bem dada. Mas questiúnculas mantenho na cachola. Não concordo, por exemplo, que Pernambuco foi capitania que nem as demais antes dos tempos batavos. Entendo que no projeto das hereditárias, um projeto de transplantar Portugal além-mar, todas poderiam ser tão gradas que nem a nossa. Mas... Poderiam! Imaginemos João de Barros sendo donatário: ter uma crônica só dos feitos lusos no Brasil não seria mal!... Infelizmente porém só podemos considerar em nossas imaginações tanto. Portanto já não é Pernambuco de ser igualada com qualquer outra.

Bem... É questiúncula. Ler Evaldo Cabral de Mello só pode ser aula bem dada. Senão prossigamos.

Cabral de Mello questiona nossa colonização açucareira considerada rural. Ele demonstra que quem chegou para nos tempos de Duarte Coelho Pereira produzir açúcar era da cidade. Gente nobre... Boa parte do norte português... Pobre... Citadina. Não estranha portanto ver Olinda se transformar em poucas décadas numa pequena Lisboa no dizer das crônicas. O caráter rural dos engenhos açucareiros só vai ser estampado de maneira fixa pelas nossas elites pelo século XIX. Tal característica tão bem, inclusive, desenhada por Gilberto Freire.

Todavia novamente me dou com uma questiúncula. Li também um dos artigos de José Mattoso descrever o norte português e destacar sua cultura rural. Diferente do resto do futuro país antes da reconquista cristã: citadino. Tal cultura rural se sobrepôs a citadina por ser aquela conquistadora. Se boa parte do norte português veio cá foi para reconstruir inicialmente sua vivência de lá: não? Acrescentemos que nossa república, tão olindense quanto minha cidade natal, era ruralista contra todo Recife que nunca deixou de ser urbano. Portanto vamos nós aqui com uma tradição rural em essência.

Bem... É questiúncula pois Cabral de Mello faz tal observação ir contra toda tradicional historiográfica pernambucana. Tal pernambucana vem a ser aquela que considera rural de viver na zona rural e não de se manter rural apesar da cidade.

Ler Evaldo Cabral de Mello só pode ser aula magna! Pena não tê-lo como professor na Federal pernambucana... Minhas questiúnculas, apesar de questiúnculas, em aula sua proferiria pois talvez importância, nem que seja mínima, tenham... Não?


Nenhum comentário:

Postar um comentário