sábado, 24 de janeiro de 2015

Na Praça Leão Coroado


Com o casal Carraro dei breve passeio por alguns logradouros de minha cidade natal. Quando chegamos a Praça Leão Coroado ficamos diante do seu monumento. Temos um homem nele por cima de leão que domina com o peso de seu corpo mais as suas mãos abrindo da fera tamanha... Certamente tal estatuaria peculiar demonstra de Leão Coroado sua grande bravura.

Dei tais explicações ao casal com o motivo de tal homenagem. Para quem não sabe Leão Coroado foi quem efetivamente principiou de Pernambuco seu século revolucionário. Por 08 de março de 1817 Coroado fere quem lhe dá voz de prisão: um militar português que tenta reprimir o nosso movimento de revolução planeado para nos livrar do jugo monárquico português, pois além de querermos ser independentes de Portugal desejávamos a república, mas precipitado por força das circunstâncias que foram a descoberta dos planos de revolta culminando na tentativa de prender nosso Leão.

A bravura deste Leão portanto não se fez esperar não só para ferir mas igualmente matar tal inimizade.

Daí se deu 1817. Malogrado. Fomos um país independente por alguns meses e só. Contudo tal tentativa revolucionária marcou por demais qualquer espírito que nasce por estas bandas!...

Entretanto quando contava de tal façanha seu porquê meu casal cabisbaixo silenciava seu constrangimento tão exposto no gestual meditabundo tanto da delicada face fêmea, por antes disso com lindo sorriso, quanto pelos fortes traços da masculina. Bem... Expor algo revolucionário sendo glorificado para meu bom casal não é lá boa coisa! Por qual motivo?

Somos pessoas ditas conservadoras. Evidente que não envergonho-me de meu ser pernambucano: longe disso! Contudo sem qualquer temor hei de defender a verdade.

Toda proposta justa de mudança política, tal qual foi 1817, não pode se pautar no pensamento revolucionário. Contudo, naquele tempo, tal proposta revolucionária foi julgada melhor. Por qual motivo? Não condeno pois eu lá lhe também escolheria. Sem contar o pensamento conservador que dava seus primeiros passos ainda... Tanto não entendíamos bem esta tal de revolução que para legitimá-la buscávamos lhe justificar em nossa tradição histórica, por exemplo, na frase: "Pernambuco segunda vez restaurado".

Figura bem tamanho problema quando nossa bandeira foi benzida pelo logradouro chamado por hoje Praça da República.

Diferentemente de nossos dias que poderemos conhecer bem os malefícios da revolução acredito na boa vontade de Leão Coroado.

No mais historiar tal episódio, que nem tantos outros revolucionários pernambucanos, ajudará na compreensão do porquê qualquer projeto revolucionário vem exercendo tanto fascínio nos seres humanos. E também concluindo, partindo da compreensão pernambucana, que só por meio da tradição cultural se pode ter uma prática saudável da melhor dinâmica social para nós nela vivermos então.

Em verdade Pernambuco sempre foi conservador e tradicional. Quem estuda bem seu passado concordará comigo. Portanto meu casal pode ficar tranquilo que por cá sempre se sentirão em casa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário