quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Pesos Ideológicos e Medidas Tronchas que Resultam em, no Mínimo, Peiticas

Estou sem paciência com qualquer tipo de militância. Por tempos mais conturbados, bem representados naqueles em que se tem ao menos uma possibilidade de revolução iminente, vem a ser justificável tomar partidos de sangue nos olhos... Porém hoje não.

A modernidade venceu: disto testemunho maior dá quem ainda pode defender a tradição. "Ainda" digo pois vai chegar o tempo de não poder: infelizmente. Por qual motivo? Disputas sem freio.

Sem alteridade nada de mesmidade.

Mas esquecemos das possíveis obviedades e nenhuma discussão levamos a sério pois todas elas terminam com mil gritarias impossíveis de serem mais baixas. É facínora para lá... Sepulcro caiado para cá... Machista com histeria de revirar úteros. Sem contar que termos referentes aos posicionamentos em embate dirigidos aos divergentes viram palavras horrorosas. Nem é necessário dar por acréscimo mas... Vá lá: calão.

Apesar de supostamente promoverem a liberdade de qualquer expressão por debaixo dos panos tentam de todas as maneiras impossibilitar manifestações ou liberais ou conservadoras... Que democracia! Precisamos de partidos, sem o sangue nos olhos, com tais bandeiras além da mesmice tão impostamente tremulada.

Também espaço: precisamos ter espaço. Para todas as pessoas. Assim arejar espíritos... E pôr longe miasmas causados por um só modo de ver a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário