sábado, 1 de março de 2014

Sem Vida: sem Nada

Com atraso para compromisso resolvi contudo ficar em casa só mais um pouco: quis ver uma notícia veiculada pelo telejornal local.

Temos uma tradição carnavalesca que não ocorreu por 2014. Por Olinda vemos em pleno Carnaval mil bonecas e bonecos enormes desfilando nas suas ladeiras. Antes de tal festa tais enormidades disputam corrida.


Sim: literalmente correm.

O povo que não gosta de Carnaval certamente vê tais tipos de manifestações como meras puerilidades. Entretanto tal festividade não é momento de nos tornamos crianças? Enfim... O Carnaval se faz de diversas brincadeiras.

Mas um problema: não ocorreu por qual motivo?

Com atraso de pagamentos as pessoas que dão vida para seus brinquedos carnavalescos enormes resolveram protestar se recusando dar qualquer carreira.

Não é de primeira vez que se reclama vários atrasos de pagamentos. Quem trabalha no Carnaval (Por incrível que pareça também se trabalha para fazer Carnaval) normalmente recebe seus proventos mais de seis meses após a festa.

Bem... Injustiça não pagar logo depois de cumprir o trabalho: não?

Valorizo demais quem carrega tanto peso. Não só dos quilos mas da nossa cultura principalmente. Vinda de Portugal mas aqui peculiar. E belíssima na sua manifestação plena.



Cá não vou perder tempo discutindo desde significado de símbolos até quão importante vem a ser o lúdico. Quem tem boa vontade pesquisa sobre para tirar qualquer conclusão do tema.

Nossas instituições públicas dificilmente valorizam nossas tradições como deveriam ser valorizadas: eis a conclusão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário