sábado, 15 de julho de 2017

Espírito de Seita



Já me cansa no conservadorismo sua defesa tão ridícula quanto boboca de que toda verdade só pode ficar, e bem estanque, na sua posição: jamais então nas ideológicas divergentes. Eis um comportamento comum da canhota bem assimilado! Sem assimilar a perspicácia rubra no “vamos ver” político todo conservadorismo ranzinza de nossos dias cria mais um espírito de seita...

Como se precisássemos de mais!...

É possível dialogar assim? Aí sim... Jamais e nunca! Não vemos seres humanos do lado que se nos opõe politicamente mas prodígios infernais a serem abatidos: e depressa. Não enxergamos? Sim. E religiosamente. Mistura religião nessa gororoba!... Ficará tão indigesta que nem comer carne podre crua. Nem discuto sobre dogma mas das más interpretações acerca de dogmas...

Coisa de quem logo deseja separar joio de trigo. Não será julgar precipitadamente? Com exemplos esclarecerei todo comentário que fiz até cá.

Sem qualquer conhecimento, nem que seja mínimo, do Carnaval chegaram a dizer que tal festejo não é cultura. Pergunta minha mana retoricamente bem: “Então que significa cultura?”. Dou risada. 

Tamanha discussão não é nova: só piorou com o tempo. Piorou demais até depois de levarem como tema Nossa Senhora no desfile das escolas de samba paulistanas. É pólvora com fogo portanto! Misturar sagrado com profano não dá: sem dúvida. Mas daí por um erro tremendo cometer outro de descer a lenha no Carnaval sem qualquer ponderação... Ah: vá te lascar! 

Deve ser difícil estudar algo tão diferente daquilo que nos é costumeiro. Contudo não é dos maiores objetivos com os estudos compreender algo que desconhecemos? Idiotice grande pois espernear afirmações mais aparentadas com impropérios: que nem decidir com tamanha “perspicácia” tudo que pode ser ou não cultural! 

Mais? Incompreensões do paganismo que demandam mal proselitismo cristão e só... Deturpações históricas patentes a defender sua laia... Negar até pontos ideológicos conservadores importantes, que nem o valor da tradição, só para salvaguardar farisaicamente sua doutrina de cruz-credo (Tal último tem que ver exemplarmente com o tradicional espírito revolucionário pernambucano).

Pelo jeito parece que, concluindo, não é boa coisa tomar posições ideológicas de qualquer matiz... Ê vida!



Nenhum comentário:

Postar um comentário